terça-feira, 26 de abril de 2011

Cruz Vermelha Brasileira


Filial Municipal de Navegantes
Travessa Valdemar Vieira, s/n - centro, Navegantes - Santa Catarina
(47) 3319-5790


cvnavegantes@hotmail.com / cvb.navegantes@gmail.com

http://cruzvermelhabrasileira.blogspot.com/

Programação Semanal Fundação Cultural Badesc - de 25 a 29/04

Segunda-feira, dia 25

* Cineclube Francês
Desert Blues, de Michel Jaffrennou, é o documentário exibido. Sessão às 19h. Entrada gratuita.

Ficha Técnica:
Desert Blues
(Desert Blues)
De Michel Jaffrennou, França/Mali, 2006, 60 min. Documentário. 12 anos.
Viagem musical no coração da República do Mali contemporânea.

* Exposição Projeto Patrimônio Caeira

Após 9 meses estabelecendo contato e promovendo atividades com moradores do Caeira, pesquisas e entrevistas, o Projeto prepara uma série de exposições que condensará as principais frentes culturais da comunidade do Saco dos Limões. Entre os dias 25 e 28 de abril, serão expostas, no jardim da Fundação Cultural Badesc, fotografias sobre a cultura da pipa no Caeira.

Contatos Projeto Patrimônio Caeira:
Sumaya Lima (coordenadora): 48 9926-9019
Carlos Silva (assessor de imprensa): 48 9914-2375


Terça-feira, dia 26

* Cineclube Italiano

O filme é Vincere, de Marco Bellochio. Início às 19h e entrada gratuita.

Ficha Técnica:
Vincere
(Vincere)
De Marco Bellochio, Itália, 2009, 128 min. Drama. 14 anos.
Com Giovanna Mezzogiorno, Filippo Timi e Fausto Russo Alesi.
A história da amante de Mussolini, Ida Delser, e seu filho, Albino.

Quinta-feira, dia 28

* Ficção Brasil

Exibição de Terra em transe, clássico de Glauber Rocha. Às 19h. Entr ada gratuita.

Ficha Técnica:
Terra em transe
De Glauber Rocha, Brasil, 1967, 106 min. Drama. 14 anos.
Com Jardel Filho, Paulo Autran, José Lewgoy, Paulo Gracindo e Glauce Rocha.
Eldorado, um país fictício da América Latina, está sofrendo com lutas pelo poder político. O jornalista Paulo Martins fica dividido entre a loucura da elite e a cega submissão das massas.

Curadoria de Fifo Lima.

Sexta-feira, dia 29

* DOCBrasil

A programação homenageia o diretor Ozualdo Candeias e apresenta dois de seus filmes e um documentário sobre o artista. No trabalho de Candeias o Brasil é olhado em seu lado marginalizado social e culturalmente. Suas personagens são miseráveis, excluídas, exploradas, malditas e humilhadas.

Candeias: da Boca para fora
De C elso Gonçalves, São Paulo, 2002, 17min. Documentário. Livre.
Um retrato original de Ozualdo Candeias. Divertidos e controversos depoimentos de personalidades do cinema como Zé do Caixão, Carlos Reichenbach, Inácio Araújo e Jairo Ferreira.

Uma rua chamada Triumpho 969/70
De Ozualdo Candeias, São Paulo, 1971, 10min. Documentário. Livre.
Através de fotografias de autoria de Ozualdo Candeias registra-se a região da Boca do Lixo paulistana e as pessoas do meio cinematográfico que por ali circulavam.

A margem
De Ozualdo Candeias, São Paulo, 1967, 96min. Ficção. Livre.
Aborda o dia-a-dia da população pobre que vive às margens do rio Tietê através das experiências de quatro personagens.

Curadoria de José Rafael Mamigonian.

* Encerramento da mostra Notas de rodapé

A exposição do carioca Jimson Vilela está aberta para visitação até o dia 29. Pode ser conferida de segunda a sexta, das 12 às 19h. A entrada é gratuita.

-----------------

Assessoria de Imprensa
Camila Collato (48) 9649-1936
Marilia Labes (48) 8463-0043

arte e yoga

sábado, 23 de abril de 2011

CHOCOLATE..


A origem do chocolate remonta a 1.500 A.C., segundo registram estudos que demonstram que a civilização Olmeca foi a primeira a aproveitar o fruto do cacaueiro.

Eles habitavam as terras baixas do Golfo do México. Evidências arqueológicas comprovam que pouco depois os Maias, Toltecas, a Aztecas também já utilizavam o cacau, a consideravam-no o alimento dos Deuses.

Nesta época o cacau era usado como uma bebida, geralmente acrescida de algum condimento. Era ingerida pelos sacerdotes em rituais religiosos.

Houve tempo também, na mesma época, em que as sementes de cacau, de tão valorizadas, viraram moeda corrente. Eram usadas como meio de troca a referencial de valor.

Históricamente, foi Cristovam Colombo quem descobriu o cacau para a Europa, quando de sua quarta viagem ao Novo Mundo, por volta de 1502. Teria levado sementes de cacau para o rei Fernando II, sementes estas que passaram quase desapercebidas no meio de todas as outras riquezas que trouxe.

Em 1519, Hernando Cortez descobriu o cacau durante suas conquistas no México, mas os espanhóis não prezavam muito a bebida, achando-a fria, gordurosa a amarga. Porém logo perceberam o valor da semente como referencial de valor a moeda de troca. Em nome da coroa Espanhola começou plantações de cacau no México onde a " moeda" seria cultivada.

Em 1528, Cortez trouxe de volta para a Espanha cacau a as ferramentas necessárias para seu preparo. Com o passar do tempo, os espanhóis começaram a agregar açúcar a outros adoçantes a bebida, tornando-a menos amarga a mais palatável, portanto, ao gosto Europeu.

Estes passaram a tomar o líquido quente, e o chocolate quente começava cada vez mais a cair no gosto da elite espanhola. Também nesta época o cacau começou a ser feito em tabletes, que depois eram mais facilmente transformados em bebida.

Ao longo dos próximos 150 anos, a novidade foi se espalhando pelo resto da Europa, e seu use foi sendo difundido na França, Inglaterra, Alemanha, Itália, etc. Vários ingredientes continuavam sendo agregados ao chocolate liquido: leite, vinho, cerveja, açúcar, a especiarias.

Foi somente em 1755 que o cacau apareceu nos Estados Unidos.

Em 1795 os ingleses começaram a usar uma máquina a vapor para esmagar os grãos de cacau, a este invento deu início à fabricação de chocolate em maior escala.

Mas a verdadeira revolução do chocolate aconteceu cerca de 30 anos depois, quando os holandeses desenvolveram uma prensa hidráulica que pela primeira vez permitia a extração, de um lado, da manteiga de cacau, a do outro a torta, ou massa, de cacau. Esta última era pulverizada para se transformar em pó de cacau, que quando acrescido de sais alcalinos se tornava facilmente dissolúvel em água. Daí ao desenvolvimento de bebidas achocolatadas foi um passo rápido, a em seqüência a mistura com manteiga de cacau fez aparecer os primeiros tabletes de chocolate mais ou menos como os conhecemos hoje.

Em pouco tempo a Espanha, que tinha praticamente o monopólio do cacau, perdeu sua hegemonia para a Inglaterra, França, Holanda, etc.

THEOBROMA CACAU O cacaueiro ( " Theobroma cacau" theobroma, significando , em grego, alimento dos deuses } é uma árvore equatorial a tropical ( encontrasse numa faixa geográfica entre 20" latitude sul a 20'latitude norte ) que prefere altitudes entre 400 a 700 metros do nível do mar, a que se desenvolve melhor a sombra de árvores maiores. Precisa de chuvas regulares, solo profundo a fértil. É uma árvore frágil, delicada, sensível a extremos climáticos, a muito vulnerável à pragas a fungos. Sua altura atinge entre 5 e 10 metros na maturidade, a os primeiros frutos podem ser colhidos mais ou menos 5 anos após o plantio. A árvore se torna adulta aos 10 anos, e pode, em circunstâncias excepcionais, produzir até os 50 anos de idade. As flores pequenas brotam nos galhos e no tronco da árvore e precisam de 5 a 7 anos para se transformarem em frutos maduros. O tamanho da fruta madura varia entre 15 a 30 centímetros de comprimento por 8 a 13 de largura a ela tem formato ovalado. Cada fruto contém entre 20 a 40 sementes envoltas numa polpa macia de cor marrom embranquecida. Quando da safra, o cacau é colhido, aberto, as sementes são separadas, fermentadas e secadas. A fruta deve ser tratada imediatamente após sua colheita, para evitar o apodrecimento. Vinte a quatro horas após a abertura da fruta começa o processo de fermentação, cujo objetivo é livrar a semente de sua mucilagem, destruir o embrião (para evitar a germinação da semente) a provocar reações químicas a enzimáticas na pane interna das sementes. O processo de fermentação é feito em barcaças de madeira apropriadas, a dura entre 3 e 8 dias. É uma etapa muito importante para se obter uma amêndoa de qualidade. Após a fermentação, o cacau ainda contem água demais, cerca de 60%, a esta água precisa ser removida. Na fase de secagem o cacau a espalhado ao sol a mexido regularmente para manter as sementes arejadas a não permitir a formação de bolor. A secagem natural, ao sol, propicia um cacau de qualidade. E totalmente desaconselháveis (inclusive inaceitável ) a secagem artificial, tal como calor do fogo a lenha, pois deixa a amêndoa com cheiro de fumaça. Uma vez seco, o cacau é ensacado em sacas de 60 quilos cada e despachado para armazéns ou fábricas processadoras.

PROCESSAMENTO DE AMÊNDOAS

Quando chegam as fábricas processadoras de cacau, as amêndoas passam por um rigoroso controle de qualidade. A operação de limpeza começa com a eliminação de impurezas ( 1.0 a 1.5% do peso total ), tais como fiapos das sacas, pedaços de galho, pedrinhas, areia, etc.

Isto é feito mecanicamente através de um sistema de escovas e peneiras. Limpas, as sementes são encaminhadas para a torrefação, cujo objetivo principal e o desenvolvimento do aroma. Também facilita a descascagem.

Este processo é totalmente automatizado a no fim dele as amêndoas passam por um resfriamento rápido para evitar a queima interna das sementes. No próximo estágio as amêndoas passam pela descascagem, onde as cascas são retiradas a eliminadas e sobra, finalmente, o NIB, ou seja, o cerne da semente limpo. Em seqüência os nibs são moídos quando passam por rolos de diversos tamanhos até se obter uma massa de partículas finas ( 20 a 30 microns ) chamada de pasta, massa, ou licor de cacau. Essa massa pode ter dois destinos diferentes: a fabricação de chocolate em pó ou a produção de chocolate. No caso do chocolate em pó, a massa passa por uma prensagem hidráulica ( 350 a 530 bars ), que resulta, de um lado a manteiga de cacau, e de outro uma torta de cacau. A manteiga de cacau, considerada o subproduto mais nobre ( e caro ) da prensagem, tem uma tonalidade amarelo/clara, a possui um odor comparável ao chocolate, com a vantagem de não se tornar rançoso a ter boas características de conservação. Tem também a qualidade organoléptica de passar do estado líquido ao estado sólido sem alterações na sua natureza física. Liqüidifica-se a cerca de 37 graus centígrados. A torta passa por mais um processo de moagem para se obter um pó fino de variadas granulações. Este pó pode ser alcalinizado para torná-lo mais solúvel.

CHOCOLATE

Na fabricação do chocolate é usada a massa de cacau, açúcar, manteiga de cacau, e, possivelmente, leite. Todo fabricante tem, para cada um de seus produtos, uma formulação própria, onde a proporção dos ingredientes varia conforme o produto final. A fabricação de chocolate é composta de cinco etapas básicas: malaxação, refino, conching, tempera, a modelagem.

Na malaxação a massa de cacau a misturada com as outras matérias primas em uma masseira. A mistura a malaxada até obter-se uma massa homogênea.

No refino essa massa passa por moedores que reduzem as partículas da mesma a 15/ 20 microns.

Depois vem o conching, uma operação crucial pois da ao chocolate toda sua firmeza a suntuosidade. E uma operação demorada : pode durar de 12 horas até 5 dias.

Na próxima fase, a tempera, o chocolate é temperado para passar do estado líquido para o estado sólido, através de um processo de cristalização.

A última etapa e a modelagem, onde o chocolate a moldado a passa por um túnel de refrigeração ( 10/12 graus centígrados ). Na saída do túnel o chocolate é desmoldado.

Todo este processo a altamente delicado - qualquer descuido, principalmente na fase de conching a tempera pode ocasionar a perda de um lote.

chocholate

quarta-feira, 20 de abril de 2011

livro: Então você quer ser escritor?


Miguel Sanches Neto nasceu em Bela Vista do Paraíso, interior do Paraná, em 1965. Aos 4 anos de idade, perde o pai e passou a viver em outra cidade pequena do mesmo estado: Peabiru. Pertencendo a uma família de agricultores, acabou fazendo ...colégio agrícola e se dedicando à agricultura. Depois de abandonar esta atividade, fez o curso de Letras e seguiu a carreira do magistério superior. Doutor em Teoria Literária pela Unicamp (1998), é professor de Literatura Brasileira na Universidade Estadual de Ponta Grossa, colunista da Gazeta do Povo (Curitiba) e colaborador regular da revista Carta Capital (São Paulo). É autor, entre outros, dos ensaios: Biblioteca Trevisan (Curitiba: Editora da UFPR, 1996) e Entre dois tempos (São Leopoldo: Unissinos, 1999); de poesia: Inscrições a giz (Florianópolis: FCC, 1991 – Prêmio Nacional Luis Delfino) e Abandono (Edição fora do mercado, 2003); e de ficção: o romance Chove sobre minha infância (Rio de Janeiro: Record, 2000) – traduzido para o espanhol (Llueve sobre mi infância. Barcelona: Poliedro, 2004), a coletânea de contos Hóspede secreto (Rio de Janeiro: Record, 2003 – Prêmio Nacional Cruz e Sousa de 2002), as memórias de Herdando uma biblioteca (2004) e o romance Um amor anarquista (2005)

www.miguelsanches.com.br.

FOTOPINTURA

2ª Conferência Nacional de Juventude acontece de 09 a 12 de dezembro deste ano

Brasília, 19/04/2011 – Decreto publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira confirma a realização da 2ª Conferência Nacional de Políticas Públicas de Juventude para os dias 09 a 12 de dezembro deste ano, em Brasília.
Para o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República – a qual está vinculada a Secretaria Nacional de Juventude – a Conferência deve ser um espaço formulador da nova política de juventude. “A Conferência representa um espaço de democracia, encontro e formulação de propostas e reivindicações que possam dar continuidade a todo o trabalho que já foi feito para a juventude”, afirma Carvalho.
Na opinião da secretária Nacional de Juventude, Severine Macedo, a conferência simboliza um instrumento mobilizador que deve contribuir para que os eixos definidos como prioridades de sua gestão – enfrentamento à mortalidade da juventude negra; trabalho decente; Plano de Banda Larga; autonomia das mulheres jovens e o estímulo à juventude rural; entre outros – se transformem em um Plano Nacional de Juventude.
A Comissão Organizadora Nacional da Conferência foi instalada no último dia 15, durante reunião do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve). Confira a lista completa dos integrantes:
Gabriel Medina – Presidente do Conjuve / Fonajuves
Kathia Dudyk – Instituto Paulo Freire
Danielle Basto – Escola de Gente
Gabriel Alves – CPC/UMES
Nilton Lopes – CIPÓ – Comunicação Interativa
Hélio Barbosa – Rede de Jovens do Nordeste
João Vidal – UGT
Maria Elenice Anastácio – Contag
Marc Emmanuel Mendes – PMDB
Joubert Fonseca – PSB
Murilo Amatneeks – PT
Alexandre Piero – PJ
Danilo Moraes – CONEN
Marcela Cardoso – UNE
Paula Costa – UBM
Ângela Cristina Santos Guimarães – Secretaria Nacional de Juventude/SG/PR
Juana Nunes Pereira – Ministério da Cultura
Raquel Porto Santori – Ministério do Desenvolvimento Agrário
Maurício Boldrin Zanpaulo – Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
Rodrigo de Oliveira Júnior – Ministério da Educação
Danielle Fermiano dos Santos Gruneich – Ministério do Esporte
Guilherme Zambarda Leonardi – Ministério da Justiça
Lílian Cherulli de Carvalho – Ministério da Saúde
José Geraldo Machado Júnior – Ministério do Trabalho e Emprego
Geraldo Vitor de Abreu – Ministério do Meio Ambiente
Eliane Ferreira da Silva – Ministério da Ciência e Tecnologia
Cintia Santana Pires de Saboia – Ministério do Turismo
João Alves de Souza Júnior – Secretaria de Direitos Humanos
Luciana Mandelli – Secretaria de Políticas para as Mulheres
Luiz Barcelos – Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial
Deputado Reginaldo Lopes – Frente Parlamentar de Defesa das Políticas Públicas de Juventude da Câmara dos Deputados
Ismênio Bezerra – Fórum Nacional de Gestores Estaduais de Juventude
Anízio dos Santos Freitas – Fórum Nacional de Gestores Municipais de Juventude
O Regimento Interno da Conferência, que contempla as regras para as etapas preparatórias do evento, será publicado nos próximos dias pela Comissão Organizadora Nacional.
Veja aqui o Decreto que altera a data da 2ª Conferência Nacional de Juventude


__._,_.___

campanha de valorização da cultura guarani


em parceria com a TVE, uma campanha de valorização da cultura guarani.
Segue abaixo link para vocês poderem assistir aos VTs que produzimos e que entrarão na grade de programação da TVE, em horários comerciais, ao longo do mês de abril.

http://www.youtube.com/watch?v=eZYkVr5benA

Show de François Muleka sexta, 22 de abril no Coisas de Maria João



Cantor, compositor e instrumentista, François "Fortunato" Muleka cresceu numa atmosfera artística extremamente rica em que desde cedo conviveu com o universo do folclore, da pintura, música, danças e literaturas de várias regiões do Brasil. Em 1994 seus pais iniciam um trabalho de divulgação da cultura de países africanos no Brasil intitulado FIESTA AFRICAE. Este contato intenso com o panorama cultural africano, principalmente c...om a música da província do Kasai, no centro da República Democrática do Congo, marca de modo inegável a expressão, criação e execução do artista, que alia essas influências à um jeito brasileiro de tocar.
Agora, já com vasta experiência em diversas formações musicais e apresentações em vários estados, apresenta shows tanto instrumentais como com canções.

Sexta-feira, 22 de abril, 20h, François nos apresentará suas canções com participação de convidados Amado Amado (Brasil) e Martin Cohen (Argentina).

Teatro popular contra a privatização da cultura

Grupos populares de teatro lutam para sobreviver em meio a circuito restrito e que privilegia o teatro para as elites

07/04/2011, Michelle Amaral. da Reportagem

Na cerimônia de entrega de um dos principais prêmios do teatro brasileiro uma surpresa: um grupo popular é premiado e, ao invés de agradecer, realiza
um protesto contra a patrocinadora do evento, a companhia petrolífera Shell. No momento do recebimento do troféu, a atriz Nica Maria, do Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes, jogou óleo queimado, simulando petróleo, sobre a cabeça do ator Tita Reis, que em seu discurso ironizava o patrocínio da Shell. “Nosso coração artista palpita com mais força do que qualquer golpe de estado patrocinado por empresas petroleiras”, diz o ator.

O Coletivo Dolores foi premiado com o espetáculo A Saga do Menino Diamante, uma Obra Periférica, no último dia 15, na categoria Especial do 23º Prêmio
Shell de Teatro, tradicional premiação que acontece em São Paulo e no Rio de Janeiro. Apesar de aplaudida por parte do público, a cena espantou muitos presentes no local, entre eles, conhecidos nomes do meio artístico paulista. A atriz Beth Goulart, que apresentou o prêmio, indignou-se com a atitude do Coletivo. “Receberam um carinho e deram um tapa”, disse.

De acordo com Luciano Carvalho, integrante do Coletivo, a reação desencadeada já era esperada. “Se fosse significativo [o protesto], a gente sabia que iam
nos criticar”, conta. O ator explica que a oposição do Coletivo não é somente ao fato de ser a Shell a financiadora do prêmio, mas à lógica onde se insere a produção artística brasileira, em que os grandes conglomerados econômicos passam a financiar e dizer o que é ou não é arte. “As grandes empresas tornam-se reis dos estados absolutistas de hoje e dizem o que é bom e o que é ruim. É como se fosse um polvo com todos os seus tentáculos infindáveis que estão, inclusive, na cultura, porque também é espaço de construção de ideologia”, afirma Carvalho.

Privatização O protesto foi realizado para marcar a posição contrária do grupo teatral a este tipo de premiação que, segundo o ator, promove a hierarquização e gera a exclusão daqueles que não atendem aos padrões impostos pelos que controlam o prêmio. Tal visão não é defendida somente pelo Coletivo Dolores. Grupos de teatro popular e comunitário alertam para a forma como está estruturada a política cultural no Brasil. “Esse tipo de prêmio expõe a maneira como essa área cultural e artística do nosso país está privatizada”, alerta Jorge Peloso, do Impulso Coletivo, grupo teatral de São Paulo.

A privatização do fazer artístico e a consequente exclusão gerada por ela são apontadas pelos atores como resultado da Lei Rouanet, instrumento do
Ministério da Cultura (MinC) criado em dezembro de 1991 durante o governo Collor, que possibilita o financiamento das atividades culturais pela
iniciativa privada em troca de incentivos fiscais. “É evidente que essas empresas vão escolher para financiar o espetáculo que lhes convém. Ganham
muito mais, porque além de ter desconto no imposto de renda, ainda promovem suas marcas através de prêmios como este”, descreve Tita Reis, ator do Coletivo Dolores. Para Carvalho, é necessário “tirar das mãos dos gerentes de marketing das empresas” o controle sobre o financiamento das produções artísticas e criar-se políticas públicas que contemplem todos os grupos.

Tramita no Congresso desde dezembro de 2009 a proposta de remodelação da Lei Rouanet. Trata-se do projeto de lei para criação do Programa Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura (Procultura) que, segundo defende o MinC, democratizará o acesso a financiamentos, prevendo o repasse direto de
recursos públicos para projetos que não interessam ao marketing das empresas. Nos últimos dois anos houve intenso debate sobre o projeto. Grupos populares alertam que não adianta fazer modificações na lei se não for corrigido o seu erro de concepção: conceder dinheiro público a empresas
privadas. Na visão deles, para além de aumentar os recursos públicos, é necessário acabar com a renúncia fiscal.

Circulação das artes

Segundo Peloso, enquanto os financiadores da arte destinam seus recursos em prol de seus interesses econômicos, os coletivos que trabalham com linguagem social e nas periferias têm de enfrentar inúmeras dificuldades para sobreviver e realizar o trabalho artístico. Um exemplo é o Movimento Popular
Escambo Livre de Rua, que reúne vários grupos artísticos e realiza espetáculos em comunidades do Ceará e Rio Grande do Norte. O ator Mac Thiago, do Coletivo Cabeça de Papelão, que integra o Escambo, explica que o movimento é feito por grupos autônomos que não têm financiamento de governos. “A gente tenta ao máximo possível viver da rotina do teatro de rua, através de artes circenses e rodadas de chapéu”, relata.

No entanto, o ator pondera a necessidade da distribuição do orçamento destinado à cultura de forma igualitária. “Hoje existem alguns editais das secretarias de cultura e do MinC, mas contemplam poucos grupos. Muitos coletivos de teatro acabam falindo, porque não têm incentivo suficiente para se manter”, descreve.

Jorge Peloso também defende que sejam criadas políticas públicas de difusão cultural que, além de fomentar os espetáculos e os trabalhos dos grupos
populares, viabilizem a circulação das artes de modo a chegarem às periferias das cidades, no contrafluxo da atual lógica cultural, em que o fazer artístico está localizado nos centros urbanos.

Apesar de ser contrário a este tipo de premiação, o Coletivo Dolores decidiu receber o prêmio que, além de um troféu, lhe conferiu R$ 8 mil. De acordo
com nota do grupo, “esta é uma forma de restituição de uma ínfima parte do dinheiro expropriado da classe trabalhadora”.

BRINCADEIRA DA FARRA DO HOMEM!

FARRA DO HOMEM foi um evento que aocntceu dia 16/04 na Praia Brava em Itajaí, a ideia é refletir sobre como se sente um animal, acuado pelo homem? Cercado e perseguido, que chances tem um bicho de se libertar da dor e do medo? A partir desta reflexão, o Movimento de Integração entre Animais e Humanos – MIAHU organizou a “Farra do Homem”, uma manifestação para demonstrar o repúdio à prática da “farra do boi”, por todos os que respeitam a vida e defendem os direitos dos animais.

A intenção foi sensibilizar as pessoas a partir de uma dramatização em que o bicho-homem assume o lugar do boi, uma brincadeira que promoveu a defesa dos direitos dos animais de forma pacífica, ordeira e lúdica.

Seminário Economia Solidária

2º Festival Internacional Pequeno Cineasta



O que uma criança é capaz de criar com uma câmera na mão?

A resposta pode ser conferida na 2ª Edição do Festival Internacional Pequeno Cineasta,
de 8 a 12 de novembro de 2011, no Rio de Janeiro.

Em breve divulgarão a programação. Aguardem.

Para mais informações, conferir o regulamento e realizar inscrição, visite o site do evento.

Visitem o blog Antropologia da Criança: http://antropologiadacrianca.blogspot.com

terça-feira, 19 de abril de 2011

CURSOS E OFICINAS BRASIL A FORA

Gravura de Lasar Segall – Curso para professores
O quê: curso temático que oferece subsídios para melhor exploração das técnicas de gravura e suas possibilidades educativas em sala de aula. Serão desenvolvidas atividades na exposição e no ateliê. A orientadora é Marina Herling e o curso é gratuito.
Quando: 30 de abril, das 9 às 16h, inscrições nos dias 26 e 27 de abril
Onde: Museu Lasar Segall, Rua Berta, 111, São Paulo (SP)
Informações: (11) 5574-7322

Curso de Bacharelado em Museologia - UNIBAVE
O quê: O Centro Universitário Barriga Verde - UNIBAVE inicia dia 3 de junho uma nova turma de Bacharelado em Museologia.
Quando: as matrículas por histórico escolar estão abertas até dia 30 de abril
Onde: Centro Universitário Barriga Verde – UNIBAVE, Rua João Leonir dall’Alba, Orleans (SC)
Informações: (48)3466-0192 ou 9619-3798 – museologia@unibave.net

Museologia: ferramentas para a gestão e conservação de coleções
O quê: curso com duração de 120 horas, em sistema e-learning, língua portuguesa, organizado pela espanhola Akanto- Diseño e Gestión de Museos. O curso é organizado em quarto módulos: Introdução à Museologia, Coleções, Exposição e Planejamento
Quando: 2 de maio a 16 de julho
Informações: www.akanto.es, lisboa@akanto.es ou info@akanto.es

O Cinema de Quentin Tarantino
O quê: curso sobre a obra do diretor americano Quentin Tarantino, ministrado pelo cineasta Mauro Baptista Vedia. Os alunos receberão apostila e certificado, além de participarem sorteio de DVDs de filmes de Quentin Tarantino.
Quando: 30 de abril e 1º de maio, das 9h30 às 12h
Onde: Museu da Comunicação Hipólito José da Costa, Rua dos Andradas, 959, Porto Alegre (RS)
Informações: (51) 9101-9377 ou cenaum@cenaum.net

Concurso público para museólogo
O quê: a Prefeitura de Pelotas (RS) lança concurso para o preenchimento de 2 vagas para o cargo de museólogo
Quando: as inscrições devem ser realizadas via internet pelo site www.msconcursos.com.br, de 11 de abril a 1° de maio
Informações: www.msconcursos.com.br

Encontro Mundial de Artes Cênicas - ECUM
O quê: Maior encontro de artes cênicas da América Latina. Conta com oficinas, workshops, conferências, apresentação de espetáculos etc.
Quando: até 1º de maio
Onde: Funarte (Rua Januária 68, Floresta - Belo Horizonte, MG)
Informações:www.ecum.com.br ou (31) 3344-9331

“Pescadores de tainha na Ilha do Mel”

O quê: exposição de registros fotográficos e vídeo da pesca artesanal de tainha, ritual importante que acontece na Praia do Farol, na Ilha do Mel. As fotos são de Leonardo Régnier e vídeo do cineasta Túlio Viaro
Quando:até 03 de julho, terça a domingo, das 10h às 18h (venda de ingressos até 17h30). Entrada: R$ 4,00 e R$ 2,00 para estudantes (com carteirinha). Gratuito para grupos agendados da rede pública, do ensino fundamental e médio, para crianças até 12 anos, maiores de 60 anos e no primeiro domingo de cada mês.

Onde: Museu Oscar Niemeyer, Rua Marechal Hermes, 999, Curitiba (PR)
Informações: (41) 3350-4400.

Museu Lasar Segall inaugura o projeto Intervenções

O Museu Lasar Segall, integrante do Ibram, promove o projeto Intervenções, com curadoria de Jorge Schwartz e Marcelo Monzani. Com o objetivo de propiciar uma reflexão sobre as relações entre espaço arquitetônico, espaço público e artes visuais, o projeto apresenta obras de artistas contemporâneos no espaço interno (jardim) do Museu.

São instalações e intervenções como a escultora e ceramista Lygia Reinach, que inaugura o projeto com dois trabalhos inéditos. “Além do orgulho de ser convidada a inaugurar o projeto em um espaço digno e inusitado, considero a iniciativa ousada. Não duvido que Segall aplaudiria”, afirma Reinach. O trabalho da artista pode ser visto até 26 de junho.

Tradição açoriana resiste no Caeira “ Dança da Ratoeira”

DANÇA DA RATOEIRA - Dia: 19 de abril de 2011 - Hora: 18:00

Tradição açoriana resiste no Caeira “ Dança da Ratoeira”

"Meu galho de malva, meu manjericão, dá três pancadinhas no meu coração"... Há mais de 30 anos, era muito difícil que alguém nascido e criado em Florianópolis não ouvisse versinhos como esses, cantados na Dança da Ratoeira, numa ciranda. Esta é uma das tradições açorianas que resiste na Ilha de Santa Catarina.

Os versinhos eram endereçados a alguém da roda. Podiam ser declarações de amor, de amizade, de paixão, de gratidão, mas também podiam ser declarações sarcásticas ou irônicas entre rivais presentes na dança.

Com incentivo do Projeto Patrimônio Caeira, esta manifestação cultural foi retomada pelo Grupo Alegria da Terceira Idade da comunidade do Caeira do Saco dos Limões.

No próximo dia 19 de abril (terça-feira), o Grupo Alegria voltará a apresentá-la. Haverá uma breve explicação do que foi, como e onde se dançava a Ratoeira e de que modo permaneceu naquele bairro. O evento ocorre a partir das 18 horas, no Jardim do Palácio Cruz e Sousa - Museu Histórico de Santa Catarina.

A organização do evento está por conta do Projeto, que acompanha as manifestações culturais da comunidade desde agosto de 2010. O Projeto Patrimônio Caeira possui patrocínio cultural da Fundação Catarinense de Cultura, através do Edital Elizabeth Anderle, e busca registrar a memória cultural da comunidade, através de fotografias, textos, encenações e material virtual. A Dança da Ratoeira é, com certeza, uma tradição cultural que não merece ser esquecida.

O quê: Apresentação da Dança da Ratoeira do Caeira.
Quando: Dia 19 de abril (terça-feira), às 18 horas.
Quanto: Gratuito.
Onde: Jardim do Palácio Cruz e Sousa - Museu Histórico de Santa Catarina
Obs (se chover será transferido para o interior do museu)

contatos: Sumaya Lima coordenadora Projeto Patrimônio Caeira (48) 99269019
Christiane Castellen - Museu Histórico de Santa Catarina (48) 3028-8091 / 3028-8092
christianecastellen@fcc.sc.gov.br / mhscconvida@fcc.sc.gov.br

MUSEU HISTÓRICO DE SANTA CATARINA
Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro - 88010-400 - Florianópolis - SC
Fone:(48)3028-8091 - mhsc@fcc.sc.gov.br e mhscconvida@fcc.sc.gov.br
http://www.mhsc.sc.gov.br/

TODO DIA E DIA DE INDIO

Um índio descerá de uma estrela colorida e brilhante
De uma estrela que virá numa velocidade estonteante
E pousará no coração do hemisfério sul, na América, num claro instante

Depois de exterminada a última nação indígena
E o espírito dos pássaros das fontes de água límpida
Mais avançado que a mais avançada das mais avançadas das tecnologias

Virá, impávido que nem Muhammed Ali, virá que eu vi
Apaixonadamente como Peri, virá que eu vi
Tranqüilo e infalível como Bruce Lee, virá que eu vi
O axé do afoxé, filhos de Ghandi, virá

Um índio preservado em pleno corpo físico
Em todo sólido, todo gás e todo líquido
Em átomos, palavras, alma, cor, em gesto e cheiro
Em sombra, em luz, em som magnífico

Num ponto equidistante entre o Atlântico e o Pacífico
Do objeto, sim, resplandecente descerá o índio
E as coisas que eu sei que ele dirá, fará, não sei dizer
Assim, de um modo explícito

E aquilo que nesse momento se revelará aos povos
Surpreenderá a todos, não por ser exótico
Mas pelo fato de poder ter sempre estado oculto
Quando terá sido o óbvio

Caetano Veloso

Indígenas vêm ao Museu da Inconfidência

No Dia do Índio, 19 de abril, cinco indígenas da etnia Asurini, do Pará, estarão em Ouro Preto (MG) para participar de oficinas no Museu da Inconfidência em homenagem à data. O grupo, que contará com o apoio de um técnico da Funai, estará vestido a caráter.

A tribo Asurini é tema da exposição “Ritual da Imagem: Arte Asurini do Xingu”, promovida pelo Museu da Inconfidência em parceria com o Museu do Índio (Funai/RJ) e aberta à visitação até 24 de abril, em Ouro Preto.

Além da exposição, haverá cursos de curta duração de pintura corporal - feita com extrato de jenipapo e urucum - e de confecção de objetos de adorno. Também serão exibidos pequenos documentários da cultura dos Asurini que, por meio do grafismo, expressam sua arte em cerâmica e pintura corporal.



topo

Museu do Índio do RJ prepara programação especial

Na semana comemorativa do Dia do Índio, de 15 a 20 de abril, o Museu do Índio (localizado na Rua das Palmeiras, 55, em Botafogo, RJ) preparou apresentações de canto, dança e luta, além de oficinas interativas de cerâmica Karajá.

No dia 19 de abril, às 10h, haverá apresentação do grupo de canto e dança Karajá Iny Bededyynana (TO) e, às 19h, serão lançadas três publicações sobre temas indígenas, um vídeo-documentário e um site, com versão em Guarani Mbya, realizados em parceria com a Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro.

Confira programação:museu do indio

Reunião do Fórum Étnicorracial Estadual

Pauta: Repasse de informações
Regimento Interno

PROGRAMA DA SEMANA DE RELIGIÕES DE MATRIZES AFRICANAS de Florinópolis

Estou enviando a programação da Semana de Religiões de Matrizes Africanas, que vai acontecer de 19 de abril a 1º de maio. Vai ter uma exposição de fotos do terreiro do Pai Leco e também uma palestra sobre a pesquisa que fiz na Comunidade Terreiro Abassá de Odé. Quem puder reenviar para divulgar a semana,

Data: 28/04/2011
Local: Auditório da Secretaria Estadual de Habitação, Emprego e Renda
Av. Mauro Ramos nº 722 Centro/Florianópolis
Horário: 14h às 17h30

Cultura: documentários catarinenses no Cineclube FCBC 2011

A Fundação Cultural de Balneário Camboriú convida a comunidade para mais uma apresentação do Cineclube FCBC, com a exibição de dois documentários catarinenses: ‘Burguesa - Histórias de gente e de lixo’ e ‘Memórias de Jorge Lacerda: uma época de ouro na política catarinense’. As sessões estão programadas para a última quarta-feira do mês, 27, a partir das 19h30. O Cineclube é um programa coordenado pelo Arquivo Histórico e exibe filmes sempre na última quarta-feira do mês, dando preferência a obras não comerciais. A entrada é gratuita e a reserva de lugares pode ser feita no local, pelo telefone (47) 3264-5706 ou por e-mail: arquivo@camboriu.sc.gov.br. Estes documentários seriam apresentados em março, mas a exibição foi transferida por problemas técnicos.

SINOPSES

Burguesa - Histórias de gente e de lixo
(http://www.portaljoinville.com.br)
2008/15 minutos, direção de Giane Maria de Souza

A produção é da historiadora Giane Maria de Souza e leva para a tela personagens que vivem na comunidade de Rio do Ferro, em Joinville, e sobrevivem da coleta e reciclagem de lixo na cidade. Burguesa é uma égua, usada como meio de transporte, e será ela que levará o espectador para o imaginário e universo social desses trabalhadores. Em aproximadamente 15 minutos, o vídeo dá voz a essas pessoas, que por meio de histórias - às vezes tristes, às vezes engraçadas -, fazem um recorte da realidade de personagens que poucas vezes têm oportunidade de mostrar quem são e o que pensam. Segundo a diretora, um dos objetivos do vídeo é suscitar o debate a respeito da representação que a sociedade cria a respeito dessas pessoas, seres invisíveis na cidade. "Burguesa - histórias de gente e de lixo" foi produzido em 2008, com recursos do Edital de Apoio às Artes e Cultura da Fundação Cultural de Joinville.

Memórias de Jorge Lacerda
(www.jorgelacerda.com.br)
2008/30 minutos, direção de Roberto Lacerda Westrupp

Documentário dirigido por seu neto, Roberto Lacerda Westrupp, conta a história de Jorge Lacerda, ex-governador de Santa Catarina, desde o seu nascimento em 20 de outubro de 1914, em Paranaguá, filho de descendentes gregos. Fez o ginásio em Florianópolis, no Colégio Catarinense. Formou-se em Medicina no Paraná e cursou Direito na Universidade de Niterói, no Rio de Janeiro, onde trabalhou como jornalista. Foi eleito deputado federal em 1950 e 1954. E em 1956, elegeu-se governador do Estado de Santa Catarina. Entre as suas principais obras estão a criação da Sociedade Termelétrica de Capivari (Sotelca), hoje complexo Termelétrico Jorge Lacerda; a construção de 48 escolas, 50 pontes e 10 estradas, além do Fórum de Tubarão, da Coletoria de Joaçaba e do Edifício das Diretorias, em Florianópolis. Na área cultural, apoiou a gravação do primeiro longa-metragem catarinense "O preço da ilusão" e reformou o Museu de Arte de Santa Catarina, incorporando ao acervo obras de pintores nacionais e internacionais. Jorge Lacerda faleceu num acidente aéreo, em São José dos Pinhais, em 16 de junho de 1958, aos 43 anos. No mesmo desastre, morreram o ex-presidente da República Nereu de Oliveira Ramos e o deputado federal Leoberto Leal, ambos de Santa Catarina.
Agenda

Exibição dos documentários
‘Burguesa - Histórias de gente e de lixo’ e
‘Memórias de Jorge Lacerda’
27 de abril, quarta-feira, a partir das 19h30
Arquivo Histórico de Balneário Camboriú
Terceira Avenida, esquina com as ruas 2500 e 2550
Entrada gratuita

Outras informações:

Sobre o Cineclube | Arquivo Histórico:
Marlon Iron da Silva, (47) 3264.5706, das 13h às 19h
arquivo@camboriu.sc.gov.br

Sobre a Fundação Cultural:
Eduardo Meneghelli Júnior, (47) 3366.5325, das 13h às 19h
presidencia.fcbc@camboriu.sc.gov.br


Prefeitura de Balneário Camboriú – FCBC
Assessoria de Comunicação Social
Texto: Vânia de Campos
imprensa.fcbc@camboriu.sc.gov.br
www.balneariocamboriu.sc.gov.br

Seminário Internacional sobre Educação e Desenvolvimento

Seminário Internacional sobre Educação e Desenvolvimento, que ocorrerá em Brasilia, no auditorio do IPEA, de 3 a 5 de maio/2011.

http://www1.brasilia.unesco.org/files/programacao_seminario_ed_desenv2011.pdf

Mais de 20 grupos no Rio do Sul em Dança

2º Rio do sul em Dança (2009) | Foto: Flávio Manoel
Já estão confirmados mais de 20 grupos de dança e cerca de 300 bailarinos e dançarinos para o 4º Rio do Sul em Dança marcado para os dias 20, 21 e 22 de maio. As inscrições para o festival prosseguem até dia 2 de maio diretamente no site da Fundação Cultural de Rio do Sul (www.fundacaocultural.art.br).

As apresentações competitivas acontecerão no Cine Teatro Dom Bosco, a partir das 19h. Algumas mostras paralelas não competitivas serão apresentadas durante o dia, na praça Ermembergo Pellizzetti.

O coreógrafo da Delegação Brasileira de Hip Hop presente nos mundiais de Miami (EUA), e Praga (República Tcheca), Octávio Nassur, será um dos jurados do 4º Rio do Sul em Dança. Os profissionais Rafa Santos, Ana Andréa e Bárbara Rey completarão o corpo de jurados do Festival e ministrarão oficinas durante os dias de competição.

Segundo o diretor do departamento de Artes Cênicas e coordenador do Rio do Sul em Dança, Carlos Alves, o festival é uma forma de valorizar a dança e seus admiradores. “Como qualquer outra arte, a dança desperta emoções e consciência de crítica e autocrítica” destaca.

Em 2010 participaram do festival, grupos de dança de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná somando cerca de 350 bailarinos e mais de 1,5 mil espectadores durante os três dias de competições. Com a coreografia de dança de rua “Femme” a Cia. de Dança Lotus de Curitiba (PR), foi a vencedora do 3º Rio do Sul em Dança. Mais informações e currículo completo do corpo de jurados no site www.fundacaocultural.art.br/rsldanca2011

Premiação do 4º Rio do Sul em Dança
1º Lugar – R$ 4,4 mil (para a coreografia de maior nota dentre todas as apresentadas)
2º Lugar – R$ 2,2 mil (para a coreografia com a 2ª maior nota dentre todas as apresentadas)
3º Lugar – R$ 1,2 mil (para a coreografia com a 3ª maior nota dentre todas as apresentadas)
Coreógrafo Revelação: R$ 1,2 mil
Melhor Bailarina: R$ 1 mil
Melhor Bailarino: R$ 1 mil

Iléia Aparecida da Silva - Fundação Cultural de Rio do Sul - (47) 3521-7702

Curso de produção de Cinema e Vídeo

Curso de Cinema e Vídeo - O Departamento de Artes Visuais da Fundação Cultural de Rio do Sul está com matrículas abertas para o novo curso de Produção de Cinema e Vídeo. As matrículas podem ser efetuadas junto à secretaria da Fundação. As vagas são limitadas.

O curso tem a proposta de desenvolver o senso crítico e analítico sobre produções audiovisuais diversas, além de capacitar e qualificar profissionais para trabalhar nas diversas áreas audiovisuais que o mercado disponibiliza.

As aulas serão ministradas por Gabriel Garcia, sócio-diretor da Fábrica de Cinema do Alto Vale. Garcia é pós-graduado em Cinema pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) e entre seus trabalhos mais recentes está a direção de fotografia e montagem do curta-metragem “crônica” realizado em Curitiba com lançamento previsto para este mês de abril.

Informações sobre horário, preço e data de início do curso podem ser obtidas pelo atendimento online no site www.fundacaocultural.art.br

curso de palhaço Noturno do Ospália

- Coletivo de palhaços em pesquisa, com o apoio do Espaço Arya Yoga
Será toda quarta feira das 19h até as 22h. Ínicio no dia 20 de abril

Totalizando 39horas/aula
O curso é para iniciantes, a idade minima para fazer o curso é de 16 anos.
Investimento: 60 reais mensais - Com um limite de 14 vagas
Local: Arya Yoga - Rua Dinah Queiroz, 120, praia dos Amores. Entre Itajai e Balneario Camboriú
Mais informações: http://www.ospalia.blogspot.com/

Inscrições podem ser feitas pelo e-mail ospalia@gmail.com ou pelo fone 99466070 (Charles)

Sobre o Clown - Federico Fellini
“O clown encarna os traços da criatura fantástica, que exprime o lado irracional do homem, a parte do instinto, o rebelde a contestar a ordem superior que há em cada um de nós.É uma caricatura do homem como animal e criança, como enganado e enganador. É um espelho em que o homem se reflete de maneira grotesca, deformada, e vê a sua imagem torpe. É a sombra.O clown sempre existirá. Pois está fora de cogitação indagar se a sombra morreu, se a sombra morre.Para que ela morra, o sol tem de estar a pique sobre a cabeça. A sombra desaparece e o homem, inteiramente iluminado, perde seus lados caricaturescos, grotescos, disformes. Diante duma criatura tão realizada, o clown, entendido no aspecto disforme, perderia a razão de existir. O clown, é evidente, não teria sumido, apenas seria assimilado. Noutras palavras, o irracional, o infantil, o instintivo já não seriam vistos com o olhar deformador que os torna disformes.Por acaso São Francisco não definiu a si mesmo como jogral de Deus?Lao Tsé afirmava: Quando produzas um pensamento, te ri dele.”

*Este texto é um excerto do comentário que fez Fellini a seu filme I Clowns, feito para a televisão em 1970. In ""Fellini por Fellini", L&PM Editores Ltda., Porto Alegre, 1974, págs. 1-7. Tradução de Paulo Hecker Filho.

O curso:
Partindo dessa reflexão o curso visa estimular o contato do índividuo com seus aspectos ingênuos e rídiculos que normalmente são escondidos no cotidiano tendo como principal objetivo a relação desses aspectos (rídiculos e ingênuos) com o espectador. Tudo isso num ambiente de coletividade.
O curso também tem como objetivos.
1-Incentivar a relação de confiança entre o grupo e promover um ambiente de descontração, espontaneidade através de jogos e brincadeiras
2-Despertar o corpo para o jogo cênico através de exercícios corporais que viabilizem um estado de atenção e espontaneidade própio para o trabalho.
3- Experimentar príncipios essenciais ao trabalho de palhaçaria como a triângulação (Foco-Percepção-Ação), a entrega, a relação direta com público. Além do contato com a menor máscara do mundo ( o nariz vermelho).

O trabalho prático de experimentação é a base do curso embora também seja trabalhado referências teóricas e discussões a partir delas. As discussões teóricas podem ser acompanhadas de quitutes, café, chá, suco...O Trabalho prático será exercitado através de Exercícios corporais, jogos e brincadeiras, atividades de exposição pessoal, sensibilização e improvisações cênicas.

Ospália - www.ospalia.blogspot.com - Fone- (47)9946-6070(TIM) - Charles

Seminário sobre sistemas municipais de cultura para toda ANFRI

O Conselho Municipal de Cultura e a Fundação Cultural de Itajaí convidam os gestores culturais da região da AMFRI para participarem do Seminário sobre sistemas municipais de cultura com Bernardo Mota Machado, do Ministério da Cultura.

LOCAL: AUDITÓRIO DA PREFEITORA MUNICIPAL DE ITAJAÍ
DATA: 25 DE ABRIL
HORA: 19:00

Att:Ivan Carlos Serpa
Pres/COMUC - Itajaí
COMUC - Conselho Municipal de Cultura de Itajaí

Prêmio Itaú Unicef projetos socioeducativos

O Prêmio Itaú Unicef reconhece e estimula o trabalho de ONGs, que contribuem para a educação integral de crianças e adolescentes e jovens brasileiros.

Podem concorrer projetos socioeducativos, com crianças, adolescentes e jovens entre 6 e 18 anos, no contraturno escolar.

Educação Integral: experiências que transformam, tema desta 9ª edição, destaca a importância de oferecer diferentes oportunidades de aprendizagem para crianças e adolescentes. As experiências vivenciadas na família, na comunidade, na escola, na ONG e em outros espaços trazem múltiplos saberes que se complementam e possibilitam o seu desenvolvimento integral, numa sociedade em constante processo de mudança.

inscrições abertas de 29/3 a 31/5 de 2011.http://www.premioitauunicef.org.br/paginas/index.aspx

FCBadesc promove IV Seminário Leitura de Imagens

O Grupo de Pesquisa Arte e Educação, o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UDESC e a Fundação Cultural BADESC promovem no dia 12, a partir das 9h, o IV Seminário Leitura de Imagens para a Educação: Múltiplas Mídias.

Pretende-se tornar público os trabalhos produzidos no Centro de Artes da UDESC e em outras instituições, dividindo os resultados com a comunidade da arte e do design. O seminário contará com a apresentação de trabalhos de professores membros do Grupo, estudantes de Mestrado, Graduação e de profissionais da área.

As possibilidades para leitura de imagens debatidas no evento serão veiculadas no website do Grupo de Pesquisa: www.gpae.ceart.udesc.br

Para realizar sua inscrição, envie um email com seu nome completo e telefone para contato para o email arte.e.publico@gmail.com. As vagas são limitadas e será emitido certificado com registro.

Programação:

Mesa 1: coordenação Prof. Murilo Scoz
9h Abertura do evento
9h15 “O sabor sofisticado dos Alpes suíços nas terras do cacau: análise da embalagem do chocolate Alpino”
Débora da Rocha Gaspar (CA-UFSC, Universidad de Barcelona)
9h45 “Morte e nascimento na imagem de Jacinto e Apolo”
Rodr igo Montandon Born (CEART/UDESC)
10h15 Intervalo
10h30 “Bolas pretas ou círculos e esferas?”

Maria Helena da R. Barbosa (Museu de Arte de Santa Catarina)

11h00 “Fundamentos para uma semiotização do Design”

Murilo Scoz (UDESC)

11h30 Debate


Mesa 2: coordenação Profª. Sandra Ramalho e Oliveira


14h00 “Tecnologias, fotografia, síndrome de down e inclusão social”

Neli Klix Freitas (UDESC) e Helene Paraskevi Anastasiou (PPGAV/UDESC)
14h30 “À luz da imagem”

Carolina Ramos Nunes (CEART/UDESC)

15h00 “O vento dentro do balão”

Ana Kuhnen dos Santos

15h30 Intervalo

15h45 “A prática do desenho e a leitura de imagens”

Anelise Zimmermann (UDESC)

16h15 “Explosão e isotopias”

Sandra Regina Ramalho e Oliveira (UDESC)

17h00 Debate

18h00 Encerramento e entrega dos certificados

sábado, 16 de abril de 2011

"O futuro do transporte está nas bicicletas?"

Manter a harmonia entre os 64 milhões de veículos motorizados que circulam pelo Brasil não é muito fácil. Congestionamentos, buzinas, acidentes já viraram rotina nas grandes cidades. Em tempos de lutas pelo meio ambiente e por uma maior qualidade de vida - o que passa também pela qualidade do trânsito -, um veículo não-motorizado reclama seu espaço: a bicicleta. Limpo e renovável por natureza, já que é a propulsão humana e não a combustão, as chamadas bikes ganham cada vez mais importância como alternativa verde de transporte, o que promove também saúde, esporte e lazer.
Mas alguns impasses surgem disso: como incentivar a ciclomobilidade? Como fornecer a devida segurança ao ciclista? E que tipos de vias são ideais para essa classe de tráfego? É consenso entre os especialistas de que, para se alcançar uma real harmonia entre os veículos motorizados e os não-motorizados, é necessária uma infraestrutura adequada (ciclovias, ciclofaixas, entre outras), bem como medidas de educação e fiscalização em relação ao uso e ao respeito a esses espaços. Igualmente importante seria priorizar - em planejamentos e ações - o transporte coletivo.

"É preciso acabar com a grande insistência nas soluções pontuais, imediatistas e provisórias, que sempre serão necessárias, porém não atuam sobre a base", defende o arquiteto e urbanista Nei Simas, consultor especializado em Transporte Urbano pela Universidade de Brasília. "Enquanto a Engenharia de Tráfego der prioridade para as obras de ampliação do sistema viário e mais prioridade ainda para o transporte individual, deixando de lado o disciplinamento da operação de tráfego e a segurança, o chamado caos urbano vai se agravar cada vez mais, o que aumenta a desarmonia já existente", completa.

Já o coordenador de Comunicação da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), André Soares, explica que as cidades, carentes - em geral - de um planejamento urbano, cresceram desordenadamente e conforme as exigências do mercado (especialmente o imobiliário, o comercial e o automotivo). "Com isso, o poder público age com medidas corretivas ou adaptativas, alargando vias, construindo viadutos e túneis, mesmo que isto signifique alterar a arquitetura urbana ou a base geográfica natural", afirma ele, que - além de mestre em Sociologia Política - já foi membro do Conselho Municipal de Transportes de Florianópolis e secretário-executivo da União de Ciclistas do Brasil (UCB). "A única maneira de os ciclistas, pedestres e motoristas conviverem harmonicamente é planejar e gerir a cidade para as pessoas, e não para as máquinas, buscando o convívio nas vias públicas, ao invés de territorializá-las exclusivamente para os veículos motorizados", acrescenta.

INFRAESTRUTURA CICLÍSTICA: POR ONDE COMEÇAR?
Com quase 1,1 milhão de habitantes, Campinas - terceiro maior município paulista - já começou a se movimentar no sentido de oferecer a infraestrutura necessária para os ciclistas. No último dia 23, foi inaugurada a ciclofaixa "Campinas - Cidadania em Movimento", com 18 km de extensão, na região central da cidade. Voltado ao lazer, o espaço só funciona aos domingos e feriados, das 7h às 13h, apoiado por uma grande operação de trânsito, que custa mais de R$ 20 mil por dia à Prefeitura. A média de público usuário tem sido entre 3 mil e 5 mil ciclistas, inclusive de outras cidades. Até maio deve ser entregue nova ciclofaixa, com 10 km de extensão. Mais do que iniciativas isoladas, os projetos fazem parte do Sistema Cicloviário de Campinas, lei que prevê cerca de 100 km de ciclovias e ciclofaixas que - diferente da via inaugurada - serão de uso diário.

Mais de 5 mil ciclistas compareceram ao primeiro domingo de funcionamento da nova
ciclofaixa de lazer de Campinas, no último dia 23. (Crédito: Emdec)

"Os estudos começaram em 2005, quando fizemos os primeiros bicicletários e recuperamos uma ciclovia e uma ciclofaixa que já tínhamos. Em 2006, preparamos um plano cicloviário para a cidade, discutido entre a Câmara Municipal e a Prefeitura. Em 2007, o projeto foi aprovado pelo Legislativo, dando as diretrizes para os investimentos em deslocamentos por bicicletas. De lá para cá, de forma gradativa, fomos aumentando os espaços para este fim: sempre que uma nova avenida é planejada, incluímos também esse tipo de espaço no planejamento", conta o secretário de Transportes, Gerson Luis Bittencourt, que também é presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Crédito: Emdec).

A iniciativa da cidade paulista é um passo alinhado ao que dizem os especialistas. "Deve-se sempre considerar a existência de um sistema, que envolve infraestrutura, planejamento, legislação, fiscalização e controle da operação de tráfego e transporte público, para que motoristas, ciclistas, pedestres e passageiros de transporte público possam conviver em harmonia", comenta Nei Simas.


Apesar de investimentos em infraestrutura para a ciclomobilidade, são
necessárias ações de educação e fiscalização para garantir exclusividade do
espaço aos ciclistas. (Crédito: ViaCiclo)

O urbanista sugere ainda que o sistema cicloviário não seja considerado apenas um espaço diferenciado, mas que tenha todo um planejamento por trás, levando em conta aspectos como:
• é necessária a montagem de redes de eixos de transporte não-motorizado, não de ciclovias isoladas;
• deve haver o mínimo de proteção ao ciclista contra as intempéries (arborização para proteger da insolação, iluminação especial para maior segurança, pequenos espaços cobertos a cada 300 ou 400 metros para abrigo contra as chuvas, etc);
• há que ter paraciclos espalhados por toda a área urbana e bicicletários em pontos estratégicos, como estações de metrô e terminais de transporte coletivo;
• a obrigatoriedade de transporte de bicicletas em todos os meios de transporte público, com tarifa integrada, também é uma medida fundamental de estímulo à ciclomobilidade.


Bicicletário do Terminal Transmilenio, em Bogotá (Crédito: Nei Simas)

A opinião é compartilhada por André Soares, da ViaCiclo, que acrescenta que o fornecimento de bicicletas públicas ou de aluguel também é importante. "É preciso ainda incluir nas atribuições do Conselho de Transporte/Trânsito local a mobilidade ciclística e a integração intermodal, ampliando a participação da sociedade civil no processo deliberativo". Além disso, para ele a iniciativa privada pode se inserir no processo com a implantação de bicicletários para clientes e funcionários e, para estes, vestiários com duchas, o que pode ser incentivado pelo poder público.

REFERÊNCIAS
Muitas cidades ainda carecem de avanços nesse sentido, mas não faltam referências, no Brasil e no exterior, que auxiliam na implantação desse tipo de política. Cidades como Ribeirão Preto, Sorocaba, Santos e Teresina são citadas como locais com investimentos crescentes na área. O Rio de Janeiro se destaca por estar, segundo Nei Simas, implantando uma "verdadeira rede de ciclovias, porém como um programa isolado dos demais modos de transporte".

Fora do País, Amsterdã e Roterdã, na Holanda, são referências internacionais. Londres inaugurou em julho de 2010 pistas rápidas exclusivas para bicicletas - conhecidas como Barclays Cycle Superhighways, que estimulou o aumento do uso deste modo em 70%, segundo relatório publicado pela Transport for London (TfL). Outro destaque fica para Bogotá, na Colômbia, que tem uma das maiores redes cicloviárias do mundo. "A cidade construiu ciclovias e bicicletários e apoiou a criação e consolidação do serviço de bici-táxis nas áreas periféricas, criando empregos", conta Simas.

A exemplo dessas cidades, o desafio das brasileiras que ainda estão em processo de planejamento ou implantação de políticas para a ciclomobilidade, é avançar em um plano de longo prazo. "A população não pode deixar recuar; tem que ser um projeto da cidade, não de um governo; quando isso acontece, não existe possibilidade de retrocesso", afirma Gerson Luis Bittencourt, presidente da Emdec. "O ciclista, para ser incluído, precisará se movimentar não apenas na via pública, mas politicamente; precisa cumprir a cidadania, que se refere não apenas ao usufruto dos direitos e ao cumprimento dos deveres, mas fundamentalmente ao processo contínuo da elaboração destes", finaliza André Soares.
Assessoria de Imprensa Perkons

Retirado de http://www.perkons.com.br/?page=noticias&sub=ultimas-noticias&subid=9862 em 15/02/2011

CICLOVIAS JÁ





FEIRA DE ADOÇÃO DE ANIMAIS DA ONG VIVA BICHO


A Viva Bicho realizará mais uma Feirinha de Adoção neste sábado, dia 16 de abril, das 9:30 às 15:00hs, em frente a loja Prediauto Tintas, 3a.avenida, esquina com a Rua 700.
Muitos filhotes de cachorro e gato estarão lá esperando adoção!


Mais informações ligue para 47 32631020 ou email vivabicho@vivabicho.org.

Bicicletada consciente em Itajaí


Local: Em frente à Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento
Horário: sábado, 16 de abril de 2011 16:00..

QUATRONO TEATRO DA UBRO

O lixo reciclável ou material reciclável é todo material que após ser utilizado pode ser reutilizado para fabricação de novos produtos.

São exemplos de lixo reciclável os resíduos constituídos de vidro, plástico, papel, papelão, ferro, aço e alumínio.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

agenda semanal do Café & Cultura

Amanhã, dia 13/04, quarta - feira, Visco e Pouca, com Pop Rock;

Quinta - feira, dia 14/04, Moe e os Selvagens, com Pop Rock Nacional e internacional;

Sexta Feira, 15/04, Cassiano baggio, com reggae e composições próprias!

e no Sábado, 16/04, às 12h no Encontro Mercado, Venancio; e,

às 20h Ricardo Rodrigues.

* Há cobrança de R$ 4,50 por pessoa de couvert artístico (lembrando que o Couvert Artístico é opcional, segundo o Código de Defesa do Consumidor, porém esta é a única remuneração do profissional que vem aqui mostrar seu trabalho e divertir nossas noites.)
* Os shows iniciam por volta das 21h (exceto sábados);
* Aceitamos cartões Visa / Visa Electron, Mastercard/Maestro e AMEX;
* Ambiente com conexão Wifi.


Café e Cultura
Mercado Velho - Itajaí - Santa Catarina - Brasil
47 3349 40 76

Agenda Fim de semana Coisas de Maria João 15 a 17 de abril

O Espaço Coisas de Maria João recebe o show Notas Brasileiras.O Formato é piano, voz e violoncelo e o trio (Mari Leonel, Adriana Romano e Tácio César Vieira), estréia esse novo trabalho nessa ocasião.


Notas Brasileiras

O Show

"Notas brasileiras" é o lugar onde o choro encontra a valsa, o samba encontra o blues e o jazz, nesta conjunção de músicos com formação ao mesmo tempo erudita e popular e que primam tanto pela técnica quanto pelo swing. O show promete mostrar que o clássico e o popular podem, sim, andar juntos e bem, em um conjunto de ricas harmonias, agradáveis ao ouvido e plenas de sensibilidade nas interpretações.

O Piano
Pianista, compositora e arranjadora, Mari Guimarães Leonel estudou música erudita nos EUA (Asbury College, Wilmore, Kentucky). Formada pela US College of Music, Boston, Massachussets, Mari atua profissionalmente desde a década de 80 quando se estabelece em São Paulo, onde se especializa em música brasileira. Foi aluna de Hilton Valente (Gogô). Lançou o CD "Manacá" em 1998 onde reuniu algumas de suas composições e arranjos assim como notáveis músicos instrumentistas paranaenses. Este trabalho tem como convidado especial Hermeto Pascoal. Desde 2000, Mari reside em Florianópolis, SC, onde tem realizado inúmeros projetos, atuando na didática e no palco. Como pianista, Mari cultiva um gosto eclético, desenvolvendo seu repertório a partir de sua formação jazzística mesclada com o aspecto lúdico e poético da musica brasileira, o que marca fortemente sua interpretação e improvisação.

A Voz

Formada pela solista Guita Taghi, Adriana Romano mescla as técnicas da tradicional escola de canto italiana ao timbre jazzístico na interpretação
de obras clássicas e contemporâneas da MPB. Ao longo de mais de dez anos formou duo com músicos cariocas como o maestro e pianista Sergio Roberto de Oliveira e o violonista Marcos Alves, apresentando-se em teatros, casas de show e acumulando prêmios de interprete em diversos festivais.

O Cello

Tácio César Vieira faz parte de uma família tradicional de músicos de Florianópolis. Iniciou seus estudos musicais aos cinco anos de idade com seu avô Carlos Alberto Angioletti Vieira e bisavô Carlos Vieira. Desde muito novo teve contato direto com a música erudita e popular, participando de
cursos e encontros nacionais e internacionais de estudantes de música.
Começou a estudar violoncelo com seu Bisavô. Participa atualmente como professor em um projeto de ensino musical gratuito às crianças e jovens da comunidade, projeto no qual iniciou sua atividade artística como aluno em 1997. Hoje, Tácio é integrante da Orquestra Sinfônica de Florianópolis e Bacharelando em violoncelo pela UDESC.

Sexta,15 de abril de 2011
20h
R$10,00

No sábado, 16 de abril é a vez do show Samba Fino, encabeçado pela cantora Iara Germer com canções escolhidas a dedo e um Grupo de Artistas de primeiríssima linha, bem conhecidos pelos admiradores do gênero.




Iara Germer canta belos sambas acompanhada por Chico Neis no violão e voz, Chico Camargo no cavaco e voz, Gabriela Flor no pandeiro e voz e Doga na percussão! São clássicos do samba de Noel, Cartola, Nelson Cavaquinho, Nelson Sargento, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Nei Lopes, Paulo Cesar Pinheiro, Baden, dentre tantos outros da nossa boa música brasileira.

Sábado, 16 de abril de 2011
20h
R$10,00

Para finalizar bem a semana, Coisas de Maria João recebe no domingo mais dois grandes músicos que transitam entre o popular e o Erudito. Costumam se apresentar em eventos fechados, cerimônias e teatros, portanto uma excelente e rara oportunidade de conhecer esse show preparado para o esse Espaço de Arte.




O duo composto por Chico Peixoto e Marcelo Mello apresenta repertório composto por releituras de compositores consagrados e versões de clássicos da Música Popular Brasileira, mostrando arranjos feitos especialmente para a formação de violão e violino.

Domingo 17 de abril de 2011
20h
R$10,00


Coisas de Maria João, café, arte e artesanato
Sempre com novidades de artistas catarinenses, artesãos, CDs , livros.. Acessórios, adereços e objetos da cultura popular...
Rod Gilson da Costa Xavier (Geral do Sambaqui), 1172 - Florianópolis
Contato e Informações: 9107 4457


amplitude multimidia comuicação & arte
www.amplitudecultural.ning.com

Exposições “On y Off. Paisagens Urbanas” e “Fotopinturas”



ABERTURA DAS EXPOSIÇÕES








FOTOPINTURAS




Dia: 14 de abril de 2011
Hora: 19:00



O Museu Histórico de Santa Catarina – Palácio Cruz e Sousa apresenta duas exposições individuais no mês de abril. A primeira é “On y Off. Paisagens Urbanas”, de Ana Alvarez Ribalaygua. A segunda mostra é “Fotopinturas”, de Dirce Körbes. Ambas permanecerão abertas à visitação de 14 de abril a 15 de maio.



Ana Alvarez Ribalaygua é artista multimídia e fotógrafa. Para ela a fotografia é um pretexto para construir sonhos, a imagem é o ponto de partida onde começa uma aventura. O papel é o suporte físico a partir do qual se propõem temas que chegam ao espectador através do filtro da intervenção da imagem com a incorporação de elementos habitualmente estranhos para a fotografia como leds, suportes audiovisuais, etc.

As obras ganham uma nova dimensão e a imagem estética passa a ter vida.



Em ON Y OFF cria-se um cosmos fantástico com a incorporação de centenas de LEDs nas fotografias gerando uma viagem que nos transporta do céu quase inexistente de Nova York, oculto pelos arranha-céus a cruzar pela ponte Hercílio Luz iluminada que podemos ligar e desligar com um simples click.

Um universo onírico onde as fotografias nos convidam a vislumbrar o que está acontecendo através das janelas: A vida, com seus gritos e risos, seus sucessos e suas dificuldades. Algo que acontece em qualquer lugar do mundo ao ritmo em que se ascendem e apagam as luzes da cidade, as luzes da vida.



Nascida em Santander, Espanha, estudou fotografia e desenho em Londres, escultura em madeira e em pedra no atelier do Japonês Dao Misono. Desde seus primeiros trabalhos como fotógrafa pela América Central e América do Sul realiza colaborações para revistas de viagens, edição de postais. Fez diversas exposições individuais e itinerantes pela Espanha desde os anos 90 e exposições coletivas na Itália e em feiras de arte em Madrid e Santander.





Dirce Körbes, é catarinense. Pintora e desenhista, iniciou suas atividades artísticas na década de 80 e sua trajetória inclui participações de exposições, workshops e simpósios no Brasil e Exterior. Nesta exposição apresenta 10 obras com interferências sobre fotos de sua própria autoria, sobrepondo camadas de fotografias plotadas, mescladas com serigrafias e pintura acrílica sobre tela.



Desde 2007 Dirce vem incorporando a fotografia à pintura e usa a câmera fotográfica como uma extensão do olhar, fazendo fotos como recortes de motivos que sua percepção captura entre cenas cotidianas e urbanas a paisagens de lugares visitados, fixa-se por vezes nas luzes ou a imagens refletidas em vitrines e fachadas envidraçadas dos grandes centros.



As sombras humanas são recorrentes em seu trabalho, como sombras de cidadãos apressados que rumam no mesmo sentido, retirando dali elementos que passam a povoar sua imaginação e sua temática. A artista faz uma leitura muito particular das sombras humanas que chamam a sua atenção, especialmente porque ela as usa, como uma referencia subjetiva para falar do coletivo de cidadãos ou da humanidade.



Formada e pós-graduada em Artes Plásticas pelo Centro de Artes da UDESC em Florianópolis, onde reside. Fez mostras individuais no Museu de Artes de Santa Catarina (1991), no Museu Histórico-Palácio Cruz e Sousa (2008) e na Alemanha, Akademie Kues em Bernkastel (2009) e no Parlamento de Mainz (2010). Participou de várias exposições coletivas, as mais recentes foram em Florianópolis, Paris, Buenos Aires, Itália e Estados Unidos.







Serviço: Exposições “On y Off. Paisagens Urbanas” e “Fotopinturas”

Local: Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa

Abertura: 14/04, às 19h

Aberto ao público







Visitação: 15/04/11 a 15/05/11, de terça a sexta, das 10h às 18h
sábado e domingo, das 10h às 16h.


MUSEU HISTÓRICO DE SANTA CATARINA
Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro - 88010-400 - Florianópolis - SC
Fone:(48)3028-8091 - mhsc@fcc.sc.gov.br
mhscconvida@fcc.sc.gov.br

terça-feira, 12 de abril de 2011

IX Encontro de Ultraleves de Itapema

O IX Encontro de Ultraleves de Itapema (SC) chega em 2011 com fôlego renovado. Muitas atrações, novidades e interatividade irão marcar o evento, que acontece entre os dias 22, 23 e 24 de abril. Será três dias destinados a confraternização entre pilotos e entusiastas, demonstrações aéreas, paraquedismo, shows aéreos acrobáticos, modelismo, lojas com vendas de produtos de setores da indústria brasileira.

Cerca de 10 mil pessoas, entre pilotos, empresários, autoridades, militares, profissionais e moradores da região são aguardados. Além disso, centenas de ultraleves, girocópteros, trikes, planadores, aviões e helicópteros pousarão no aeródromo, abrilhantando a realização.

A infra-estrutura é um dos grandes diferenciais da feira e responsável por possibilitar a realização de um evento versátil, completo e seguro, capaz de unir negócios, lazer e conhecimento. Além dos espaços de exposições, o evento terá a presença do Cirrus Road Show, que trará para a realização, aeronaves e um ciclo de palestras sobre temas relacionados à atualidade do setor, de modo a oferecer muita informação e, até mesmo, soluções para todos os pilotos e profissionais que estarão presentes no local.

Os horários dos shows serão confirmados à véspera de cada dia do evento, por dependerem das condições climáticas. A entrada é gratuita.

Local:

Condomínio Aeronáutico Costa Esmeralda

Rodovia BR 101 - KM 156 Sul - Frente ao Centro de Distribuição Angeloni

Coordenadas Geográficas: 27 ° 09'59 "S | 48 ° 37'21" W


IX Meeting of the Itapema Ultralights

The Ninth Meeting of the Itapema Ultralights (SC) arrives in 2011 with renewed strength. Many attractions, news and interactivity will mark the event, which occurs between days 22, 23 and 24 April. It will be three days for the fraternization between pilots and enthusiasts, flybys, skydiving, aerobatic airshows, modeling, stores with sales of sectors of Brazilian industry.

About 10 thousand people, including pilots, businessmen, officials, military officers, professionals and area residents are expected. In addition, hundreds of ultralight, gyro-copter, trikes, gliders, airplanes and helicopters will land at the aerodrome, brightening the performance.

The infrastructure is a major differential at the fair, responsible for enabling the realization of an event versatile, complete and reliable, able to unite business, entertainment and knowledge. Besides the exhibition spaces, the event will feature Cirrus Road Show, which will bring to completion, aircraft and a series of lectures on topics related to today's industry, to offer much information and even solutions for all pilots and professionals who will be on site.

Show times will be confirmed on the eve of each day of the event, they depend on climatic conditions. Admission is free.

Location:

Condo Emerald Coast Aviation

BR 101 - KM 156 South - Facing the Distribution Center Angeloni

Geographic Coordinates: 27 ° 09'59 "S | 48 ° 37'21" W

segunda-feira, 11 de abril de 2011

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­CIRCUITO SESC DE MÚSICA - 2ª ETAPA



Quando: dia(s) 12/04, Terça, às 20h

Onde: Teatro Municipal de Itajaí

Quanto: R$0,50 meia e R$ 1,00 inteira.

Grupo Cata-Vento liderado pelo violonista Felipe Coelho, traz um show apresentando a música "aberta": a música do mundo, sem delineações estilísticas, priorizando somente a beleza do som. Ganhadores do Premio Funarte 2010 de âmbito nacional, do Premio Elizabete Anderle da Fundação Catarinense de Cultura 2009, e com a experiência de 3 turnês nacionais em seu currículo, o grupo também já foi convidado a grandes festivais como as Oficinas de Curitiba (programa oficial), o Joinville Jazz Festival, o Festival Internacional de Flamenco de São José dos Campos SP, entre outros. O quarteto de cordas do CataVento é formado por Ricardo Muller, Frederico Ivan Martins, Marcos Origuella e Tales Custódio, vindos de diferentes estados do Brasil, residentes em Florianópolis e atuantes nas orquestras Filarmônica, e Orquestra da UDESC. Vídeos, música e agenda podem ser vistos em www.myspace.com/felipefcoelho

Combate as drogas é tema de Concurso de Arte e Cultura

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Educação e Cultura (MEC), lança o I Concurso Nacional de Vídeo, o XII Concurso Nacional de Cartazes, o IX Concurso Nacional de Jingle e o IX Concurso Nacional de Fotografia. O tema deste ano é Arte e Cultura na Prevenção do Uso de Crack e outras drogas. Nas áreas de vídeo e cartaz, a Senad pretende contar com a participação efetiva das escolas públicas e privadas de todo o país, no sentido de mobilizar professores e alunos para a produção de novas ideias, a fim de enfrentarem o desafio na prevenção do uso de crack e outras drogas na escola. Os trabalhos deverão ser postados até o dia 25 de abril de 2011 para o endereço da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) - Esplanada dos Ministérios - Bloco A - Sala 526 - CEP: 70050-907- Brasília (DF). O regulamento completo sobre o concurso está no site: obid.senad.gov.br

Oficina sobre Nova Lei Rouanet e Sistema Salic Web no FestFotoPoA

Na sexta-feira, dia 8 de abril, das 9h às 12h, na Sala Oeste do Santander Cultural, acontece a oficina Nova Lei Rouanet e Sistema Salic Web, ministrada pelo secretário de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic/MinC), Henilton Menezes. É uma oportunidade única para aproximar produtores culturais das formas de financiamento do Ministério da Cultura. A interlocução visa aproximar as relações, qualificar o atendimento e aprimorar os serviços prestados aos proponentes, medidas que devem colaborar para a melhor distribuição dos recursos disponibilizados pelo Governo Federal, através da Lei Rouanet. O evento tem entrada franca e é resultado de uma parceria da Sefic e do FestFotoPoA. As vagas são limitadas e serão distribuídas por ordem de chegada.

Edital Fundo de Defesa de Direitos Difusos

Estão abertas até o dia 15 de abril as inscrições para receber recursos do Fundo de Defesa de Direitos Difusos. Podem inscrever-se instituições governamentais e entidades civis sem fins lucrativos através da página do Ministério da Justiça (portal.mj.gov.br/cfdd/data/Pages/MJ038B8D53PTBRIE.htm). Os projetos devem versar sobre um desses temas: meio ambiente, defesa do consumidor, patrimônio cultural brasileiro, acessibilidade, igualdade racial, entre outros dispostos no edital. Para participar encaminhe carta-consulta ao Ministério da Justiça.

Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre

A 3ª edição do Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre acontece até o dia 12 de abril em diversos locais públicos da cidade de Porto Alegre/RS e recebeu um total de 130 inscrições de 13 Estados. A curadoria de seleção foi composta pela Coordenação de Cultura do SESC/RS, Coordenação do Festival de Teatro de Rua e Coordenação de Artes Cênicas do Município e Porto Alegre. As apresentações dos espetáculos serão realizadas nos dias: 08 de abril em diversos pontos da Rua dos Andradas; 09 de abril em diversas praças de Porto Alegre e no dia 10 de abril, no Brique da Redenção. O festival tem o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura e o patrocínio da OI e da Caixa Econômica Federal e apoio da Oi Futuro. A realização é assinada pela Associação F&S em parceria com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre e o Serviço Social do Comércio - SESC/RS.

Fundação oferece curso de Cinema e Vídeo

O Departamento de Artes Visuais da Fundação Cultural de Rio do Sul está com matrículas abertas para o novo curso de Produção de Cinema e Vídeo. As matrículas podem ser efetuadas junto à secretaria da Fundação. As vagas são limitadas.
O curso tem a proposta de desenvolver o senso crítico e analítico sobre produções audiovisuais diversas, além de capacitar e qualificar profissionais para trabalhar nas diversas áreas audiovisuais que o mercado disponibiliza. Informações sobre podem ser obtidas pelo atendimento online no site www.fundacaocultural.art.br

Encontros Rumo à Cidadania Cultural no TAC em Florianópolis

Encontros Rumo à Cidadania Cultural no TAC em Florianópolis, dia 19 de abril
O Ministério da Cultura (MinC) começa, na quinta-feira, 7 de abril, uma série de oito encontros regionais com diversos segmentos sociais, como artistas, produtores, gestores, coletivos e grupos do setor cultural, universidades e participantes dos programas Cultura Viva e Brasil Plural.

Batizadas de Encontros Rumo à Cidadania Cultural, as reuniões têm como objetivo discutir os caminhos para as políticas públicas no campo da cidadania e da diversidade cultural, além de apresentar as propostas da nova Secretaria da pasta(em processo de criação), resultado da fusão das secretarias de Cidadania Cultural (SCC) e Identidade e Diversidade (SID).

As discussões também se propõem a ampliar o diálogo com fóruns e dirigentes de cultura de estados e municípios de todo o país, a fim de fortalecer as parcerias existentes, repactuar estratégias e abrir novos caminhos.

Para a secretária Marta Porto, “os encontros representam um primeiro momento de apresentação das diretrizes pensadas para a nova Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural, sendo ainda um espaço de afirmação do diálogo da nova gestão com a sociedade”, ressaltou.

O calendário foi definido em conjunto com os chefes das representações regionais do MinC.

Calendário dos encontros

Os encontros começam em Belo Horizonte (MG) no dia 7 de abril. No dia 12, será a vez de Salvador (BA). São Paulo (SP) será a terceira capital a receber o Encontros Rumo à Cidadania Cultural, no dia 14. E no dia 15, aproveitando o Encontro Nacional dos Mestres e Griôs que acontecerá no Rio de Janeiro, a nova SCC discutirá com os cariocas as políticas à cidadania cultural. A região Sul encerra o mês de abril com dois encontros: Florianópolis (SC) no dia 19 e Porto Alegre (RS) no dia 20 de abril.

Em maio, os encontros começam pelo norte do Brasil, chegando a Belém (PA) no dia 10.
Recife (PE) terá a chance de dialogar com a nova SCDC/MinC no dia 17 de maio. O último encontro acontecerá em Goiânia (GO), dia 24, fechando a agenda nacional na região Centro-Oeste.

Informações sobre locais e horários dos Encontros Rumo à Cidadania Cultural estarão disponíveis nos próximos dias na página do MinC: www.cultura.gov.br/.

Abril 2011
Dia 7: Belo Horizonte, MG
Dia 12: Salvador, BA
Dia 14: São Paulo, SP
Dia 15: Rio de janeiro, RJ
Dia 19: Florianópolis, SC
Dia 20: Porto Alegre, RS

Maio 2011
Dia 10: Belém, PA
Dia 17: Recife, PE
Dia 24: Goiânia, GO

Fonte: MINC - Ministério da Cultura

exposição Num Tempo

A Fundação Cultural de Timbó e a Casa do Poeta Lindolf Bell apresentam a exposição Num Tempo
A Fundação Cultural de Timbó e a

Casa do Poeta Lindolf Bell

Apresenta:

Abertura da Exposição Num Tempo do artista Paulo Roberto Pugialli


A abertura da Exposição será no dia 16 de março a partir das 19h30min



A entrada no dia do evento é franca e a exposição ficará aberta à visitação até o dia 15 de abril, durante os dias e horários normais de atendimento do museu:

Terça-Feira a Domingo, das 8h 30min às 11h 30min e das 13h 30min às 17h 30min.

A Casa do Poeta Lindolf Bell fica na Rua Quintino Bocaiúva, nº 902, Bairro Quintino – Timbó/ SC.

Maiores informações através do telefone (47) 3399-2074 ou pelo e-mail: graoeventos@lindolfbell.com.br


Prestigie!

O quê: Abertura da Exposição Num Tempo de Paulo Roberto Pugialli Míticos de Marlene Hüskes
Quando: 16 de março de 2011 ás 19h30min
Onde: Grão Espaço Cultural - Casa do Poeta Lindolf Bell
Rua Quintino Bocaiúva, nº 902, Quintino, Timbó/ SC

exposição "Em trânsito"


A Galeria de Arte Contemporânea da Fundação Cultural de Criciúma convida para a exposição "Em trânsito"

"Em trânsito" Osvaldo Carvalho (Rio de Janeiro/RJ)

Bate-papo com o artista Osvaldo Carvalho: 15 de Março, às 19h30 na UNESC Bloco Z Sala 04

Abertura da exposição: 16 de Março, às 20h

Em Trânsito é uma pesquisa recente sobre sinalizações urbanas que se encontram nos caminhos das cidades. Em certo momento me aproprio delas e as modifico em circunstâncias semânticas mínimas que deslocam o significado original de cada peça sem interferir na forma em que se apresentam ao olhar do público.

Desta maneira uma placa de piso escorregadio passa a falar de uma “arte escorregadia” de algo que nos escapa se não tivermos cuidado. Um tapume, que bloqueia a entrada de uma sala expositiva, traz a pluralidade semântica para primeiro plano no tocante ao entendimento da palavra “obra”. A faixa de segurança que pede para irmos devagar pede um tempo para reflexão sobre arte contemporânea.

Sobre esses elementos construo uma nova relação sintática que modifica a percepção rotineira que todos têm a seu respeito. A nova relação “lógica” que surge adverte não mais para momentos de restrição, mas para novos paradigmas de percepção da arte contemporânea.

1ª Mostra de Arte Gótica em Quadrinhos de Horror no Centro Municipal de Cultura em Tubarão, abertura no dia 11 de abril
A 1ª Mostra de Arte Gótica em Quadrinhos de Horror, está sendo montada e permanecerá em exposição durante os meses de abril e maio no Centro Municipal de Cultura, com abertura no dia 11 de abril. A exposição oferece monitorias previamente agendadas pelo telefone 3621-9083.

A temática Dark terá ênfase na Arte Gótica Moderna em forma de gráficos e história em quadrinhos. Durante o período da mostra acontecerão oficinas de gráficos, através da confecção de caricaturas dos participantes baseados na temática da exposição. Palestras serão ministradas aos visitantes no auditório do Centro Municipal de Cultura, com o tema relacionado à importância do movimento das histórias em quadrinhos como meio de comunicação, sua origem no Brasil e influência no meio social.

Em parceria com o SESC acontecerá também no Centro Municipal de Cultura/Museu Willy Zumblick a exposição apreço, que conta com a participação de grandes artistas da cidade. A abertura será dia 7 de abril e as monitorias devem ser previamente agendadas pelo telefone 3621-9083.

Ibermuseus lança o II Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus 2011


O programa Ibermuseus lança dia 1º de abril, o II Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus 2011. O lançamento ocorrerá no auditório do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e contará com as presenças da ministra da Cultura do Brasil, Ana de Hollanda; do secretário geral da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), Álvaro Marchesi; da diretora do escritório regional da OEI no Brasil, Ivana de Siqueira; da diretora interina da Secretaria Geral Ibero-americana (Segib), Alice Abreu; do presidente do Ibram e do Ibermuseus, José do Nascimento Junior; e dos embaixadores e os adidos culturais no Brasil dos países ibero-americanos, entre outras autoridades culturais e da cooperação da região.

O objetivo principal do Prêmio é identificar, premiar e dar visibilidade a boas práticas de ação educativa em museus e instituições culturais, na área ibero-americana, que estimulem o desenvolvimento pessoal e a coesão social, e promovam a responsabilidade dos museus como agentes essenciais para o desenvolvimento.

O Prêmio é composto das categorias Boas Práticas e Incubadora de Projetos em Ação Educativa. A premiação é de US$ 10 mil (1º Prêmio) e US$ 5 mil (2º e 3º Prêmios).

Mais informações: http://www.ibermuseus.org/

Museu celebra Dia do Índio com homenagem

O Museu Índia Vanuíre (Tupã/SP) celebra o Dia do Índio mais cedo. De 12 a 20 de abril, o Museu realiza a 39ª Semana do Índio, com atividades que promovem um resgate da cultura e dos costumes indígenas. Entre os destaques da programação, estão exibição de vídeos e palestras, artesanato, além de uma exposição temporária.
A abertura da semana terá uma solenidade no mausoléu onde está enterrada a patronesse da instituição, Índia Vanuíre. Durante a cerimônia, os organizadores do evento prestam uma homenagem à índia Kaingang, destacando sua importância na pacificação entre brancos e índios no oeste paulista

26 anos da morte de Cora Coralina

(...) Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Cora Coralina

O dia 10 de abril marca os 26 anos da morte de Cora Coralina, poetisa goiana. Em homenagem a Cora, o Museu Casa de Cora Coralina, na Cidade de Goiás, promove uma jornada de estudos sobre a obra da poeta de 11 a 13 de abril na Unidade Cora Coralina da Universidade Estadual de Goiás (UEG). No dia 10 de abril às 19h, será celebrada uma missa na Catedral de Santana, relembrando a artista.
“É importante salientar que são 26 anos de ausência de Cora, mas sua memória está presente também no museu, que foi a casa dela, hoje revitalizado para preservar a obra da artista”, disse a diretora do museu, Marlene Velasco.

Palestras no Museu da UFSC

O quê: apresentação de duas palestras sobre técnicas atuais capazes de diagnosticar os materiais que constituem as obras de arte e adotar procedimentos que garantam a sua durabilidade ao longo dos anos. O evento é aberto ao público e gratuito.

Quando: 11 de abril, às 17h

Onde: Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral – UFSC, Campus Reitor João David Ferreira Lima, Trindade, Florianópolis (SC)

Informações: (48) 3721-8604

Casa das Rosas Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura


A Casa das Rosas- Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura é um Centro Cultural localizado na Avenida Paulista 37, em um dos últimos casarões da avenida mais movimentada do país. A atmosfera onírica da antiga construção e seu jardim, em contraste com a moderna estrutura urbana, traduz o que a Casa das Rosas representa: um refúgio onde toda a expressão poética encontra seu espaço. Um território onde a liberdade artística se materializa, por meio de saraus, recitais, lançamentos de livros, peças de teatro, exposições e qualquer outro formato que privilegie a difusão da poesia e da arte em geral.

Av. Paulista, 37 - Bela Vista - CEP.: 01311-902 - São Paulo - Brasil
(11) 3285.6986 / 3288.9447 - contato.cr@poiesis.org.br

Site Porto da Cultura


Porto da Cultura é um portal colaborativo que tem o objetivo de divulgar a produção artística e cultural de Itajaí.

Através do cadastramento on-line, de pessoas e entidades ligadas à produção cultural de nosso município, cria-se aqui um importante canal de expressão para nossa comunidade.

Se você anda fazendo ARTE por aí, ancore neste Porto!
Desembarque sua criatividade!

http://www.portodacultura.com.br/